Instrumentos musicais de Portugal

charanga a cavalo

charanga é uma banda de música constituída por instrumentos de sopro e, eventualmente, timbales.

Corria o ano de 1942 quando nasceu a charanga a Cavalo do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana, única no mundo a executar nos três andamentos marchas militares e trechos de música ligeira, com participações em festivais e em paradas militares, destacando-se ainda a sua actuação no terceiro Domingo de cada mês, na Rendição Solene da Guarda ao Palácio Nacional de Belém.

No dia 17 de Julho de 2010, no âmbito das comemorações locais do Centenário da República, actuou a charanga a Cavalo do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana, que percorreu as ruas da cidade de Leiria, demonstrando a sua excelência musical, aliada à arte de bem montar a cavalo.

Foi um espectáculo único ver a charanga, com os seus cavalos cuidadosamente entrançados, aparelhados com arreios ornamentados, montados por cavaleiros impecavelmente fardados.

Fonte: CML

Charanga a Cavalo do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana

charanga a Cavalo do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Bandurrinho

Bandurrinho (ou guitarrinho, como também é designado, especialmente na região de Coimbra) é um pequeno instrumento de corda dedilhada do tipo alaúde, muito ligado às práticas musicais dos estudantes, nomeadamente às tunas rurais e urbanas, mas também a ranchos. Foi fabricado nas oficinas portuguesas e bastante utilizado entre o século XIX e o primeiro quartel do século XX. Do acervo do Museu Nacional da Música constava apenas um outro bandurrinho, este da oficina Sanhudo, de 1879, mas com madeiras menos nobres e sem decoração.

Em 2023, o MNM fez a primeira aquisição em 16 anos, um bandurrinho construído por António Duarte, no Porto, no último quartel do século XIX, com recurso a pau-santo e a madrepérola.

Em 2021, de acordo com o sítio da Casa da Guitarra, estava em construção na oficina de Alfredo Teixeira um bandurrinho  com tampo em spruce, ilhargas e fundo em pau preto, braço em mogno e escala em pau preto.

Fonte: Museu Nacional da Música

Bandurrinho (ou guitarrinho)

Bandurrinho (ou guitarrinho), Museu Nacional da Música 2023

 

Partilhe
Share on facebook
Facebook

O brinquinho de Âncora – nome que é dado em Âncora ao zuca-truca (também chamado cana dos bonecros, monecros, bonecos da festada ou macacos) é um idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira)

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Também chamado zuca-truca, cana dos bonecros, monecros, bonecos da festada, macacos é um instrumento artesanal, idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira). É utilizado nas rusgas em especial na zona de Guimarães.

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Também chamado zuca-truca, cana dos bonecros, monecros e macacos, bonecos da festada designa um instrumento artesanal, idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira). É utilizado nas rusgas em especial na zona de Guimarães.

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

 

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Também chamado zuca-truca, cana dos bonecros, macacos e bonecos da festada, monecros designa um instrumento artesanal, idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira). É utilizado nas rusgas em especial na zona de Guimarães.

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Também chamado zuca-truca, bonecos da festada, monecros e macacos, cana dos monecros designa um instrumento artesanal, idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira). É utilizado nas rusgas em especial na zona de Guimarães.

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

Partilhe
Share on facebook
Facebook

O “bailhinho” ou brinquinho é um dos instrumentos musicais tradicionais mais divulgados da Madeira. “Embora a sua origem seja incerta, segundo alguns autores terá sido trazido para o arquipélago no século XIX, estando a sua origem provavelmente relacionada com um instrumento musical idêntico, designado de zuca-truca na Região do Minho e de charola ou cana de bonecos na Região do Douro. O zuca-truca ou cana dos bonecros ou monecros ou, ainda bonecos da festada ou macacos, é utilizado, atualmente, nas “rusgas” da zona de Guimarães e em Vila Praia de Âncora, onde é conhecido por brinquinho de âncora. É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira)

Bailhinho ou brinquinho, instrumento tradicional da Madeira

Bailhinho ou brinquinho, instrumento tradicional da Madeira, créditos Museus da Madeira

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Também chamado zuca-truca, macacos, cana dos bonecros, monecros e bonecos da festada, cana de bonecos designa um instrumento artesanal, idiofone misto de concussão direta. “É constituído por uma cana de bambu, com cerca de 1.20 m de alto, servindo de tubo e possui um boneco no topo e dois bonecos, paralelos à cana, vestidos com trajes regionais. Um arame no interior da cana provoca, com o movimento da mão do executante, o bater de castanholas pendentes das costas do boneco masculino.” (Museus da Madeira). É utilizado nas rusgas em especial na zona de Guimarães.

Zuca-truca

zuca-truca, créditos Sociedade Martins Sarmento

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Musiscópio

Musiscópio é um projeto de investigação e criação musical, que parte da recolha e processamento de material musical e testemunhal ligado à prática do cavaquinho português. É objetivo elaborar um retrato dessa comunidade na atualidade, através de um concerto multidisciplinar, onde a música se une ao vídeo numa performance documental, que procura pensar a ideia de comunidade, questionando aqueles que se reúnem em torno do universo do cavaquinho português, símbolo das manifestações culturais populares portuguesas.

Este projeto parte da colaboração entre o compositor Diogo Novo Carvalho e o músico Pedro João. O trabalho de ambos passa por vários prismas musicais, nos quais pretendem explorar discursos que unam as tradições populares e eruditas à inovação. Ambos têm vários anos de trabalho ligado à música e práticas artísticas, nas vertentes da criação e ensino, com participação em múltiplos concertos, composição musical e sonoplastias para dança e teatro, e experimentação com meios digitais ligados à produção musical.

Pedro João tem um percurso ligado ao teatro e a projetos musicais ligados ao universo da música popular (Palankalama); Diogo Novo Carvalho tem atividade ligada à música erudita e à composição musical contemporânea.

Musiscópio

Musiscópio

Partilhe
Share on facebook
Facebook